Aprenda a cantar: é gostoso, faz bem e todo mundo pode!

Aprenda a cantar: é gostoso, faz bem e todo mundo pode!

Quem nunca se sentiu uma estrela da música enquanto soltava a voz  para entoar sua canção favorita? Seja no chuveiro, nas telinhas dos karaokês ou até mesmo nos palcos da vida, cantar, além de muito divertido, pode ser terapêutico (e já dizia o ditado que quem canta seus males espanta).  Mas a verdade é que aprender como usar a voz em toda a sua potencialidade leva tempo e dedicação e, por isso, cada vez mais pessoas procuram um profissional que possa auxiliar a desenvolver essa habilidade.

A professora Stefanni Lanza, da Escola de Música Quatro Cantos, explica que as aulas de canto e técnica vocal são uma alternativa não só para quem quer aprimorar as performances no microfone, mas também para cuidar da saúde da voz e prevenir uma série problemas vocais. .

Foto: Bruna Brandão.

Steffani conta que "desenvolver consciência vocal não é só para cantar bem: é aprender a usar a voz da melhor forma possível, pensando em respiração, em projeção, em articulação e, claro, com muita atenção à saúde".

Para resultados ainda melhores, é fundamental que o trabalho seja multidisciplinar. A avaliação e acompanhamento de outros profissionais, como o fonoaudiólogo e o otorrinolaringologista, ajuda na identificação e tratamento de problemas mais graves. "Antes do início das aulas de canto, deve-se observar se a pessoa tem condição de começar as aulas. O professor de canto deve avaliar se a voz parece saudável e pedir exames aos alunos: uma avaliação das cordas vocais para observar problemas já existentes. Para o otorrino, por exemplo, requisitamos a videolaringoestroboscopia, para avaliar edemas, calos ou fendas vocais. E todo o nosso trabalho será para minimizar as tensões e os esforços no uso da voz para não agravar essas condições", elucida.

Profissionais também precisam de acompanhamento

Foto: Pixabay

Para quem trabalha com a voz, os cuidados devem ser ainda maiores: as cordas vocais são extremamente sensíveis e devem ser bem preparadas para não haver sobrecarga. Exercícios de fortalecimento e de flexibilidade vocal, que aumentam em intensidade com o passar do tempo, ajudam a prevenir problemas na voz, independente do ritmo da rotina de cada profissional.

"Cantores profissionais, sobretudo os mais experientes, às vezes se esquecem de continuar a cuidar bem da própria voz. A atenção vocal é antes de tudo um trabalho muscular, uma ginástica. E da mesma forma que não adianta eu fazer academia por três anos e depois ficar dez anos sem malhar, o trabalho com a voz deve ser contínuo. Porque a musculatura vai enfraquecer e ficar mais suscetível à lesões. A dedicação deve ser como a de um atleta, ou provavelmente vai haver algum problema na voz", alerta Stefanni.

Qual é a melhor hora para começar?

Foto: Pixabay

Muitas crianças, mesmo muito novas, manifestam o desejo de cantar, mas nem sempre isso significa que as aulas de canto são a melhor alternativa. Os exercícios e repetições de técnica vocal podem ser massantes e cansativos, sobretudo para os menores. Por isso, a dica de ouro para saber se já é hora de matricular os pequenos nesse tipo de curso é a avaliação e o bom senso dos pais.

"Às vezes, a criança não quer se dedicar a uma aula de canto: ela quer se divertir aprendendo música - e, nesse caso, o mais indicado é a musicalização infantil. Isso é muito variável e relativo; varia de criança para criança. De forma geral, eu indico a aula de canto a partir de uma consciência que geralmente a criança vai ter melhor a partir de 10 anos. Mas eu tenho alunos de sete anos que são mais dedicados e com mais foco que alunos de 12. Alguns professores dão aula para meninos menorzinhos - e isso vai muito da didática do professor -, mas a minha posição é de que antes da alfabetização, por volta dos seis anos, é muito cedo", opina Lanza.

No peito dos desafinados também bate um coração

Mesmo quem acha que não tem aptidão pode colher bons frutos com as aulas. A professora assegura que qualquer pessoa pode aprender a cantar melhor, desenvolver ritmo e afinação. "Existe um mito do dom. Claro que existem pessoas que nascem com uma pré-disposição a serem grandes nadadores, grandes pensadores, grandes médicos, grandes cantores, mas tudo é treino.  Algumas pessoas, que nasceram com essa pré-disposição, vão desenvolver mais se estudarem, mas todas podem aprender. Corda vocal ganha tônus. Laringe ganha tônus, igual a qualquer outro músculo do nosso corpo. Então é uma questão de disciplina, atenção e muita dedicação", garante.

Aproveite e entre em contato com a Escola de Música Quatro Cantos, para conhecer, tirar suas dúvidas e até para fazer uma aula experimental.

Quer aprender como cuidar ainda mais da sua saúde? Então vem ler mais sobre o Ambulatório que oferece tratamento gratuito para músicos.

Sobre o Autor

La Otra

Soluções criativas no ecossistema musical

Deixe seu comentário