Gravar em casa ou no estúdio: entenda as diferenças!

Gravar em casa ou no estúdio: entenda as diferenças!

Com o desenvolvimento da tecnologia e a difusão da mentalidade do "faça você mesmo", cada vez mais músicos se arriscam a produzir suas composições em casa. Mesmo sem uma aparelhagem profissional completa, é possível obter resultados com boa qualidade, mesmo para quem ainda está aprendendo a dominar as técnicas. Com todas as possibilidades e ferramentas oferecidas hoje, nos perguntamos se vale a pena gravar em casa ou em estúdio. Conversamos com o Rafael Dutra, artista e engenheiro de som, um dos sócios do Estúdio Motor, que nos conta um pouco sobre as diferenças entre cada opção de gravação.

Imagem: Pixabay

De acordo com Rafael, as novas possibilidades da tecnologia tornam o nosso tempo a melhor época para se fazer música. "Nunca tivemos tantas produções em veiculação, em diferentes mídias e diversos formatos - pra todos os gostos. Claro que onde tem quantidade nem sempre tem qualidade, mas é fato que vivemos o período mais farto de música da história", opina.

Ele esclarece que além da internet muitos fatores são determinantes nessa conta, mas um dos principais é o acesso a equipamentos de produção e meios de divulgação dos trabalhos. "Com o esfacelamento do modelo de grandes gravadoras e seus grandes estúdios, muitos estúdios menores e produções independentes passaram a ocupar um importante lugar na cadeia produtiva da música, em escala global inclusive", pontua o engenheiro de som.

Economia x Dificuldades ao fazer você mesmo

O acesso a equipamentos de gravação e a informações via fóruns, videoaulas, e outros fez com que uma boa parte dos músicos passassem a gravar e pré-produzir seus trabalhos em casa. Por um lado, sem dúvidas, ao gravar fora de um estúdio profissional, você pode economizar um bom dinheiro. Com apenas com um bom microfone e um software que possibilite editar as composições, é possível começar a gravar. "Isso é muito importante, pois desvincula o processo criativo da obrigação de um grande investimento financeiro, fazendo todas as etapas do trabalho em um estúdio profissional", esclarece Rafael.

Por outro lado, verdade seja dita, gravações caseiras demandam muito mais esforço e disciplina. Isso vai depender muito da sua energia e, sobretudo, do seu tempo. Se você acredita na máxima de que tempo é dinheiro, pode perceber que a economia não é tão grande quanto pensou no início. Muitas pessoas desistem de finalizar o processo e o resultado pode ficar bem distante do que você conseguiria num estúdio profissional.

Rafael Dutra, Ygor Rajão e Alexandre Andrés são sócios no Estúdio Motor.

"Eu, antes de ter um estúdio profissional e trabalhar com engenharia de som, produzi muita coisa em casa, com um par de microfones e uma interface barata. Mas logo percebi que a qualidade das produções que eu fazia em casa não soavam bem como os fonogramas profissionais", relembra o produtor que também é músico. Ele pondera que "ter equipamentos de gravação é maravilhoso pra um músico, mas é muito importante atentar pra qualidade de uma produção que quer soar realmente profissional e se destacar pela qualidade integral da música", relembra.

A parte técnica

Ao se tornar o comandante de suas gravações, você certamente irá desenvolver novas habilidades e conhecer ainda mais sobre o universo da música. Entretanto, é muito importante saber que leva tempo até você dominar algumas técnicas, então, a menos que você realmente esteja totalmente confiante na sua capacidade técnica para editar e masterizar suas canções, é melhor contar com quem sabe e vive disso. Lembre-se: grande parte da qualidade final de um disco está diretamente ligada aos profissionais envolvidos no processo de gravação.

Outro problema é que dificilmente a acústica da sua casa será tão boa quanto a de um ambiente pensado para gravações. Um cômodo que não tenha sido previamente preparado pode alterar os timbres, dependendo do tamanho e do material das paredes e da mobília. Controlar essas variáveis vai ser muito difícil, mesmo com um bom programa.

Estrutura Estúdio Motor

"Na maior parte das vezes, os resultados alcançados em produções caseiras não passam nem perto da qualidade sonora de uma produção feita em um bom estúdio, com uma boa sala e bons profissionais envolvidos. E não se trata apenas de equipamentos (que são, sim, muito importantes pro resultado) mas principalmente da mão de obra qualificada, que vai captar e finalizar esse trabalho de forma profissional", conclui Rafael.

E o que fazer, afinal?

Buscando um equilíbrio entre questões financeiras e a conquista de um trabalho profissional, muitos artistas acabam por dividir as etapas de gravação e realizar parte delas em casa e o restante no estúdio profissional.

Na fase de pré-produção, por exemplo, gravações caseiras são extremamente úteis e não comprometem em nada a qualidade do produto final. No entanto, quando falamos de mixagem e masterização, certamente são processos que requerem uma intervenção profissional para uma boa sonoridade - e por isso vale a pena investir num estúdio nesse momento. O importante é planejar com antecedência, de maneira que todos os detalhes sejam bem cuidados!

Está procurando um estúdio para gravar em Belo Horizonte? Conheça agora o Estúdio Motor!

Leia também porque Lançar um single é uma das estratégias de marketing mais usadas na música.

Sobre o Autor

La Otra

Soluções criativas no ecossistema musical

Deixe seu comentário