Descentralização cultural: Conheça os projetos que fomentam artistas fora dos grandes centros

Descentralização cultural: Conheça os projetos que fomentam artistas fora dos grandes centros

Formar público e conseguir espaço para se apresentar é uma tarefa árdua para muitos músicos, sobretudo os que estão fora dos grandes centros. Por isso o incentivo governamental na cultura é uma ferramenta fundamental para que mais artistas tenham a oportunidade de viver esse sonho.

Conversamos com a gerente de cultura do Sesc em Minas, Eliane Parreiras, para falar do importante trabalho de democratização no acesso, diversificação, descentralização e fomento às diferentes linguagens artísticas no estado. São diversos projetos tradicionais e gratuitos, com foco na diversidade cultural.

Minas ao Luar em Ipatinga. Foto: Daniel-Costa

Segundo Eliane, as ações do Sesc Minas fortalecem a formação de públicos para além da capital e fortalecendo as várias regiões do Estado, possibilitando a consolidação e criação de novos artistas. "Isso faz parte da nossa missão. Artistas de todas as localidades podem enviar propostas ao Sesc em Minas, para os diversos projetos de fomento cultural, nas várias áreas em que atuamos", explica.

Para os músicos, o carro chefe é o Minas ao Luar, um projeto do Sesc integrado ao Sistema Fecomércio MG, Senac e Sindicatos, que valoriza da música brasileira e das culturas populares tradicionais, por meio de apresentações gratuitas e de qualidade. "Abrimos espaço para artistas de todas as vertentes musicais e regiões de Minas, incentivando especialmente aqueles em início de carreira. Desde a primeira edição, foram mais de 600 apresentações em mais de 200 municípios, contabilizando um público superior a dois milhões de espectadores", conta Eliane.

Formação musical

O Sesc Minas também investe na formação de novos músicos, oferecendo cursos de ensino gratuitos de instrumentos de cordas, canto coral, percepção e prática musical em suas unidades para crianças e jovens de 10 a 18 anos. "A iniciativa busca integrar educação musical permanente voltada ao desenvolvimento cognitivo aos mais de 220 alunos que atualmente estudam conosco. Os integrantes participam de ensaios e apresentações em eventos. São oferecidos ainda diversos cursos de formação musical nas unidades do Sesc, preparando jovens para a inserção na carreira profissional na música", detalha a gerente de Cultura.

Orquestra de Câmara Sesc, criada em 2012. Foto: Tarcisio de Paula.

Fomenta Cultura

Para os artistas interessados em apresentar o seu material, a melhor forma de entrar em contato com o Sesc em Minas é por meio do Fomenta Cultura. Os artistas inscritos passam por um processo interno de curadoria. Eliane esclarece que "esse chamado público da instituição não se trata de um edital, mas sim um canal de acesso aos processos de curadoria do Sesc, feita por meio de equipe especializada que seleciona artistas inscritos no Programa e atua também com convidados".

As inscrições para o primeiro semestre de 2017 se encerraram em março, mas já há a previsão para uma nova edição do Fomenta Cultura para o segundo semestre do ano. Podem se inscrever, além de profissionais das áreas de música, contação de histórias e artes visuais , artistas de outras linguagens como artes-cênicas, literatura e biblioteca.

Os artistas que gostariam de enviar seu material para avaliação nos diversos espaços e projetos devem encaminhar propostas para o e-mail faleconosco@sescmg.com.br para seleção e mapeamento por parte da equipe de programação. Para propostas específicas ao Sesc Palladium, o artista deve enviar a proposta para o palladium@sescmg.com.br.

Quer se apresentar mais? Venha ler o nosso artigo e descobra como abordar as casas de shows!

Sobre o Autor

Tetê Mesquita

Deixe seu comentário